31 março 2008

FILE!

Semana passada não teve aula!

Quer dizer, não teve aula na sala de aula, por que fizemos uma saída-de-campo. Mas não foi igual do colégio, por que não saiu todo mundo junto dentro de um ônibus fazendo bagunça e cantando aquelas clássicas musiquinhas de excursão com a turma. E, também, por que a professora chegou depois dos alunos, né. Aí a gente ficou fazendo correria por lá sem que ninguém nos mandasse parar.

Gostei da exposição do Festival, mas confesso que esperava por mais interatividade. Mais instalações onde pudesse pular, correr, brincar, fazer sujeira, ao invés de somente contemplar fingindo que entende alguma coisa.

Fiz uma matéria sobre o FILE que vai ao ar no Canal 15 da NET, na UniTV nos seguintes horários: Quarta, às 14h30min e às 21h30min e Sexta, às 18h30min. Ou seja, tem três horários pra assistir, não tem como perder. Mas, se tu for uma pessoa muuuuuito ocupada, semana que vem eu coloco no YouTube e ponho um link aqui!

Depois da exposição ainda rolou um Capuccino com um bom papo no Café do Cofre. Mas, como o Athos já disse, "mas isso já é história pra outro post (ou não... ihi)".

Boa semana, até a próxima!


Update: Não agüento mais o template desse Blog. PRECISO mudar.

24 março 2008

Ai, God

Como o Athos já disse no Blog dele, a Giseleh pediu que a gente postasse qualquer coisa e como eu não quero perder nota, eu tô postando. Assim como o colega disse, falar de cultura inútil e de coisas sem embasamento intelectual é super bom por que ficar só falando dos textos teóricos da academia às vezes cansa.

Mas tá, tem tanta futilidade no mundo que quando se tem a liberdade pra falar o que quiser, eu fico até perdido. Fazia tempo que queria falar sobre, resolvi, então, falar do Big Brother.

Posso dizer que fiquei tri decepcionado com essa edição. Não sei por que, mas parece que as edições de número par do BBB nunca emplacam. No início achei que essa seria uma bacana, mas ficou claro que virou uma disputa entre a produção do programa e os participantes. Inventaram o tal do monstro, o Big Fone, criaram intrigas, tudo pra ver se dava um jeito na audiência. Não deu muito certo. E, na final, ficou uma mosca morta que tá com a maior probabilidade de receber o R$1 milhão.

Numa aula da Fabico, esse semestre, fiquei sabendo que os direitos do BBB pertencem ao Boninho e ao Bial. E que eles compram o espaço na Globo, e terceirizam várias etapas da produção. A Globo ganha com os anúnciantes e eles, com as ligações e tudo mais que entra de verba por dentro do programa. Dizem que o programa vai até o número dez. Mas é sempre uma decepção cada nova edição que eu não sei se chegam tão longe...

Eu torcia pra Diva gaúcha, pra Nat. TODO mundo torcia pra ela ficar no último paredão. Até a Ana Maria Braga torcia pra ela. Mas aí, o povo do Nordeste como não deve ter computador deve ter grudado no telefone celular e comprado créditos só pra votar, por que o telefone normalmente só deve receber chamadas e ter ligado e mandado mensagem a fuzel. Por que só eles pra defender aquela mulher nojenta do cabelo ruim! Só que ela tá na final. E tudo indica que o povão lá vai dar o prêmio pra ela. Façam o que quiser! Não tô mais nem aí, o BBB não me empolga mais.


PS: O BBB foi uma bosta, mas o blog Big Bosta Brasil fez ele ficar um poquinho melhor.

BlogBlogs!

Não, esse não é o post de tema livre!

Finalmente descobri como que se reclama pelo meu blog no BlogBlogs. Aí eles mandaram carinhosamente pediram que eu colocasse esse código no meu Blog.

BlogBlogs.Com.Br

Pelo que eu vi, é só um link, mesmo e não um código que rouba minhas senhas e manda e-mails pra todo mundo. Acho que serve pra quem tem esse serviço me localizar. Portanto, clica ali e me linka!

E, pra quem tem Twiter e quiser me seguir, essa é minha conta: https://twitter.com/felipemarcel

Confesso que é um serviço bem de nerd, mas é viciante, não consigo parar de atualizar beeem legal!

17 março 2008

Web 2.0

Geeeeeeeeeeeeeeente, eu tenho que postar. Logo se vê que eu não tenho uma rotina de blogueiro. Se tivesse, já estaria com meu blog cheio de posts e teria comentado nos outros blogs ao invés de simplesmente ter visitado eles.

A Web 2.0 chama-se assim, não por que a internet tá fazendo 20 anos assim como eu vou fazer no dia 06 de abril, e sim por uma brincadeirinha dos nerds que inventam isso de que é uma "atualização", uma "nova versão" da internet que se conhecia quando as bonitas acessavam o site da Turma da Mônica e o Chat do UOL pra conversar com os amiguinhos.

A "nova internet" permite uma interatividade muito maior entre quem a faz e quem a lê. Por exemplo, eu, nesse meu lindo humilde blog sou mais um fazedor de conteúdo da Web 2.0. Tudo bem que eu tô lá na na pqp pontinha mais pequena da tal "Long Tail" ou Cauda Longa, que eu não vou explicar o que é o meu colega Maurício Thomsen explica nesse post.

Na Web 2.0 qualquer um pode criar conteúdo. Qualquer um pode virar celebridade. Até eu, como diretor-ator-produtor dum clipe ou de um "comercial" que estão no YouTube que eu não vou postar os dois links. Qualquer um pode fazer qualquer coisa. Se antes tudo já era possível, agora tudo-vezes-o-infinito-vezes-a-ida-da-terra-até-a-lua-mais-a-volta pode ser feito.

E então? Tá esperando o que? Sijoga e faz a festa, quem sabe tu não vira a tosca da Mari Moon e cai na MTV?

Boa semana, pessoal, beijosmeliga.

10 março 2008

Claro que eu não sei o que é cibercultura

Todo dia eu TENHO que acessar meu Orkut pra ver se ninguém mandou scrap ou alguma fofoca por depoimento falando coisas importantes, claro. Aí também dou uma olhada nos e-mails, inclusive na pasta Spam, por que, vai saber, né? Vai que tem algo importante que o Sr. Gmail julgou ser lixo? Tem que ficar de olho. De vez em quando, ainda dou uma olhada no meu extrato pelo home banking pra ver se não gastei demais me certificar que minhas aplicações estão rendendo. O MSN tenho que deixar sempre aberto, nem que seja no Aparecer Offline. O celular já faz parte do meu corpo. Fica sempre perto de mim, pra receber uma mensagem ou uma ligação a qualquer momento e o iPod ligado faz minha vida ter trilha sonora, com músicas baixadas ilegalmente da Internet.
É claro que existem muito mais coisas que eu faço todos os dias, mas só citei algumas que utilizam de aparatos tecnológicos que me fazem interagir com o Ciberespaço da tal Cibercultura que eu imaginava ser um mundo de robôs que já estamos vivendo há algum tempo e que nada tem a ver com o mundo dos Jetsons como já cheguei a imaginar.

"Trata-se assim de compreender a emergência de cibercidades [...], as nova práticas comunicacionais no ciberespaço (e-mail, listas, weblogs, jornalismo online), as novas relações sociais eletrônicas e as práticas comunicacionais pessoais (weblogs, webcams, chats, icq, listas), [...] e a nova configuração comunicacional (liberação do pólo da emissão) da Cibercultura."

LEMOS , André. Cibercultura. Alguns pontos para compreender a nossa época. In: Olhares sobre a cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2003.

Enfim, meu blog

Tudo bem, tudo bem, me rendi ao mundo dos Blogs. Certo que foi uma obrigação solicitação de uma duas disciplinas da faculdade, mas, estamos aí. Verei se vou agüentar continuar depois que o semestre acabar...
Quem sabe, quem sabe...




01 março 2008

Quem é Felipe Marcel?

Felipe Marcel é um Publicitário que trabalha com Marketing. É formado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e tem 22 anos.

Já atuou na Área de Pesquisa no Departamento de Marketing Corporativo do Grupo RBS, já trabalhou na Disney; já dirigiu e apresentou o programa Caderno 2, veiculado pela UNITV, Canal 15 da NET PoA; já fez a cobertura do Festival de Cinema de Gramado e do Gramado Cine Vídeo de 2008; já liderou a equipe do Press Team do UFRGSMUN de 2007; já atuou em peças de teatro em sua adolescência e hoje trabalha na área de Marketing do jornal Zero Hora e Diário Gaúcho, com Análise de Mercado.

Para entrar em contato, acesse o link de Contato.

Contato

E-mail:
contato felipemarcel.com


Twitter:
@felipemarcel